Resenha: Sobreviventes do Caos - Bianca Gulim



Ano 2222
Um vírus mortal atinge metade da população do mundo, após a contração da doença, só restava setenta e duas horas ao infectado.

O Estados Unidos desenvolve uma medicação que ameniza os sintomas, prolongando a busca de uma cura.

Logo criou-se o caos, pois o governo americano decidiu usar o remédio somente nos cidadãos americanos, causando desespero em outros países. A guerra começou e terminou o que a doença havia iniciado, a extinção da humanidade.


"Rumores de que outros países também possuíam tal medicação não demoraram a se espalhar. Assim, a guerra se expandiu dos Estados Unidos para ao restante do mundo."

Ano 2323
Doentes assassinados e saudáveis poupados.

Os sobreviventes se dividiram em povos, cada um com seus guerreiros, sobrevivendo como podiam na floresta e no deserto. Tudo havia sido destruído.


Os aligortes fingiam querer a paz, mas lutavam por poder, totalmente gananciosos. O povo da areia, que vivia no deserto, matavam sem dó. Para controlar e manter a ordem, a Fortaleza existia. Um povo com a tecnologia avançada e, mesmo a favor da paz, usava a violência para punir quem não seguia suas leias.

No meio disso, conhecemos Celine. Uma garota estrategista e forte, líder dos guerreiros de seu povo. Seu irmão desaparecido, foi atrás de ajuda da Fortaleza, mas não havia retornado e a preocupação surgia em todo alojamento.

Celine não confia em ninguém e seu instinto de guerreira não falha.


"Meu coração é um corte aberto que não se fecha jamais. Quando uma cicatriz está se formando, fechando o corte, outra punhalada faz o sangramento voltar."

Júlio, seu irmão, antes de desaparecer formou uma aliança estranha com os aligortes e a garota não entende o que ele quis fazer com isso, já que alianças são difíceis. Logo ela e seu povo são vítimas de uma enorme traição.

Sem os seus pais e Júlio, nossa princesa guerreira terá que tomar decisões importantes para defender quem ama.

"As pessoas que eu amo morrem aos poucos. Uma de cada vez. Ás vezes, a vida se encarrega de manter uma morte afastada da outra. Ás vezes, ela é impiedosa e as aproxima. Não sei o que é pior: sofrer aos poucos ou sofrer tudo de uma vez só."

Distopia é um dos meus gêneros favoritos, acho genial criar uma história que acontece no futuro, mas sempre com a possibilidade daquilo realmente acontecer no presente. Deu pra entender?

O fato é, toda distopia nos traz algo reflexivo sobre o mundo que vivemos, será que realmente estamos indo no caminho certo? Será que podemos confiar no governo? Como tudo vai estar no futuro?

Bianca tem uma escrita bem única, você não sossega até saber o final. Os personagens são bem construídos, dos vilões aos mocinhos. Existe romance, cenas hot, mas o livro foca na dificuldade que eles enfrentam em viver naquelas condições.

O interessante é que cada povo tem sua cultura e o leitor conhece cada uma.


"Seguro seu pescoço com as duas mãos. Ele respira fundo e eu sinto sua respiração no meu rosto.
   - Sangue do meu sangue
   - Sangue do meu sangue - ele repete."

Você ama e odeia.
Quer xingar e abraçar.
Ajudar e atrapalhar.
Oito ou oitenta.

Foi uma leitura incrível e bem fluída, realmente recomendo.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

© Nome do seu Blog - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo